Mais coisas interessantes:

Bolsa-Reclusão! Acredite se.....puder, porque é VERDADE!!!

sábado, 30 de janeiro de 2010


Entrei no site e li.... E não é que é VERDADE?!!!!! Você pode confirmar no link também, infelimente...
Cambada de (um nome bem feio que não vou escrever aqui!)..... não é a toa que estamos nessa m...
http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22  

Pergunta que não quer calar 1:
Por acaso os filhos do sujeito que foi morto pelo coitadinho
que está preso recebem alguma bolsa do Governo para seu sustento?


Você sabia que todo presidiário com filhos tem uma bolsa  para
sustentar a família, dada pelo INSS, pois o coitadinho não pode
trabalhar para sustentar os filhos, pois enconta-se preso? Preso "provavelmente" pq fez algo contra a sociedade...
Chama-se "Auxílio-reclusão" e, pasmem... quem foi preso a partir de
01/12/2009, recebe R$ 752,12 (quanto está o salário mínimo mesmo, para
aqueles que trabalham honestamente????)
O valor do auxílio-reclusão corresponde ao equivalente a 100% do
salário-de-benefício (existe uma tabela).
O salário-de-benefício corresponde à média dos 80% do maior
salários-de-contribuição do período contributivo, a contar de julho de
1994.
Para o segurado especial (trabalhador rural), o valor do auxílio-reclusão
será de um salário-mínimo, se o mesmo não contribuiu facultativamente.
Tire a dúvida neste "site" oficial do governo:
  

Pergunta que não quer calar 2:
Já viu algum defensor dos Direitos Humanos defendendo esta bolsa para os
filhos das vítimas?
             
É por isso que a criminalidade não diminui ...
Mate e assalte...... e ganhe o Bolsa - Reclusão...!

E depois o Lula vem dizer que o INSS não tem dinheiro para pagar o
reajuste mais que justo, aos aposentados...!!!!
Sabe quem está financiando esta regalia do Bolsa Reclusão ?
Nós, com os impostos e contribuições!
Isto é uma vergonha, como diria Boris Casoi.

Auxílio-reclusãoO auxílio-reclusão é um benefício devido aos dependentes do segurado recolhido à prisão, durante o período em que estiver preso sob regime fechado ou semi-aberto. Não cabe concessão de auxílio-reclusão aos dependentes do segurado que estiver em livramento condicional ou cumprindo pena em regime aberto.

Para a concessão do benefício, é necessário o cumprimento dos seguintes requisitos:

- o segurado que tiver sido preso não poderá estar recebendo salário da empresa na qual trabalhava, nem estar em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço;
- a reclusão deverá ter ocorrido no prazo de manutenção da qualidade de segurado;
- o último salário-de-contribuição do segurado (vigente na data do recolhimento à prisão ou na data do afastamento do trabalho ou cessação das contribuições), tomado em seu valor mensal, deverá ser igual ou inferior aos seguintes valores, independentemente da quantidade de contratos e de atividades exercidas, considerando-se o mês a que se refere:

PERÍODO SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO TOMADO EM SEU VALOR MENSAL
De 1º/6/2003 a 31/4/2004R$ 560,81 - Portaria nº 727, de 30/5/2003
De 1º/5/2004 a 30/4/2005R$ 586,19 - Portaria nº 479, de 7/5/2004
De 1º/5/2005 a 31/3/2006R$ 623,44 - Portaria nº 822, de 11/5/2005
De 1º/4/2006 a 31/3/2007R$ 654,61 - Portaria nº 119, de 18/4/2006
De 1º/4/2007 a 29/2/2008R$ 676,27 - Portaria nº 142, de 11/4/2007
De 1º/3/2008 a 31/1/2009R$ 710,08 – Portaria nº 77, de 11/3/2008
De 1º/2/2009 a 31/12/2009R$ 752,12 – Portaria nº 48, de 12/2/2009
A partir de 1º/1/2010R$ 798,30 – Portaria nº 350, de 30/12/2009


Equipara-se à condição de recolhido à prisão a situação do segurado com idade entre 16 e  18 anos que tenha sido internado em estabelecimento educacional ou congênere, sob custódia do Juizado de Infância e da Juventude.

Após a concessão do benefício, os dependentes devem apresentar à Previdência Social, de três em três meses, atestado de que o trabalhador continua preso, emitido por autoridade competente, sob pena de suspensão do benefício. Esse documento será o atestado de recolhimento do segurado à prisão .

O auxílio reclusão deixará de ser pago, dentre outros motivos:
- com a morte do segurado e, nesse caso, o auxílio-reclusão será convertido em pensão por morte;
- em caso de fuga, liberdade condicional, transferência para prisão albergue ou cumprimento da pena em regime aberto;
- se o segurado passar a receber aposentadoria ou auxílio-doença (os dependentes e o segurado poderão optar pelo benefício mais vantajoso, mediante declaração escrita de ambas as partes);
- ao dependente que perder a qualidade (ex.: filho ou irmão que se emancipar ou completar 21 anos de idade, salvo se inválido; cessação da invalidez, no caso de dependente inválido, etc);
- com o fim da invalidez ou morte do dependente.

Caso o segurado recluso exerça atividade remunerada como contribuinte individual ou facultativo, tal fato não impedirá o recebimento de auxílio-reclusão por seus dependentes.

Devido a algumas reclamações que tenho recebido, mudei o título para bolsa reclusão. Quero deixar claro que aqui está minha opinião, neste espaço democrático.
É constitucional... é legal... como disseram alguns dos leitores. Isso tudo é verdade, mas essa também é a minha verdade, e sem nenhuma desumanidade, sem nenhum preconceito... É o que eu  acredito, porque acredito que quem precisa de ajuda de verdade é quem sofreu a agressão. Bem, mas isso é assunto para outro post...

Ganhe você também com seu site/blog